“Após o visto do Tribunal de Contas”, a empresa contratada “terá um prazo de cerca de nove meses para concluir as obras”, adiantou Jorge Almeida, presidente da Câmara Municipal de Águeda no seu perfil no Facebook.

A intervenção de 1,3 milhões de euros será comparticipada pela Câmara Municipal, Centro Hospitalar do Baixo Vouga (CHBV) e apoios comunitários do Program Operacional Regional do Centro 2020. A autarquia de Águeda é a maior financiadora da requalificação.

O que vai mudar no Hospital de Águeda com as novas obras quase a começar?

As obras no Hospital de Águeda estavam a ser preparadas desde os mandatos autárquicos anteriores, sob presidência de Gil Nadais.

Em Setembro de 2017, o CHBV – Centro Hospitalar do Baixo Vouga (hospitais de Aveiro, Águeda e Estarreja) informou em comunicado que tinha sido aprovado o financiamento do Centro 2020 com cerca de meio milhão de euros. O hospital iria contribuir com 180 mil euros. Os remanescentes 600 mil euros ficariam a cargo da Câmara, conforme acordo celebrado com a Santa Casa da Misericórdia de Águeda, enquanto proprietária do imóvel.

A obra, que deverá demorar cerca de um ano, prevê a requalificação do serviço de urgência e da área dos meios complementares de diagnóstico, que inclui a imagiologia e o laboratório.

Será construída ainda uma plataforma de ligação entre o edifício principal e o edifício lateral, que passará a ser a entrada da urgência e onde será criada uma zona de espera dos familiares.

Durante o período das obras, as urgências vão funcionar em instalações alternativas preparadas para o efeito.

Deixar uma resposta