O ano de 2019 será o ano de afirmação de grandes obras em Águeda. Pelo menos é o que a autarquia apresentou no GOPO – Grandes Opções do Plano e Orçamento de 2019. A requalificação do Hospital e do Centro de Saúde de Águeda, juntamente com obras nos postos de saúde de Aguada de Cima e de Travassô também estão incluídas.

Será o ano em que o município lançará grandes obras de grande importância para o concelho e para a cidade, como é o caso do Mercado Municipal, que pretendemos que seja uma referência a nível nacional, ou a requalificação do Parque da Alta Vila. No documento onde são apresentadas as medidas e iniciativas a levar a cabo em 2019, a aposta na saúde recai na Requalificação do Hospital e Centro de Saúde de Águeda, de Aguada de Cima e de Travassô.

Hospital de Águeda

A obra deverá demorar cerca de um ano e prevê a requalificação do serviço de Urgência e da área dos meios complementares de diagnóstico, que inclui a imagiologia e o laboratório. Está também prevista a criação de uma plataforma de ligação entre o edifício principal e o edifício lateral, que passará a ser a entrada da Urgência e onde será criada uma zona de espera dos familiares.

A Câmara Municipal de Águeda é a entidade que mais financiamento dará ao novo investimento do hospital com 600 mil euros. As restantes parcelas serão entregues por fundos comunitários – 522 mil euros – e pelo próprio Centro Hospitalar do Baixo Vouga – 180 mil euros.

Mais info aqui.

Centro de Saúde de Águeda

O projeto encontra-se já a ser desenvolvido, sendo que a verba para a construção da unidade, será reforçada no âmbito da reprogramação do Pacto da CIRA – Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro, contando com um valor de financiamento previsto de 580.000,00€.

Unidades de Saúde de Aguada de Cima e Tarvassô

A obra para a Unidade Saúde de Aguada de Cima está prevista ser lançada em concurso público durante o ano de 2019. Relativamente ao posto de saúde de Travassô, a Câmara Municipal de Águeda tem vindo a desenvolver contactos para encontrar a melhor solução para implementação da unidade, estando garantido um financiamento de 85.000,00€ através do Pacto da CIRA, verba que se mantém garantida na reprogramação do mesmo.

Deixar uma resposta