Sabias que a Linha do Vouga atravessa 4 pontes e uma única gruta entre Sernada do Vouga e Aveiro? O Vouguinha circula na linha que outrora foi apelidada de Linha do Vale das Voltas devido ao seu sinuoso traçado e completou este ano 110 anos a servir a população.

Com mais de um século de história, mostramos-te 5 curiosidades relacionadas com o Vouguinha.

1. 16 anos a percorrer 34585km

Estão desde 2002 a percorrer os troços de Aveiro a Espinho. Hoje em dia, já apresentam muitos problemas, sendo recorrente haver viagens suprimidas devido a avarias nos comboios.

2. 7 automotoras construídas

Foram construídas sete unidades, numeradas sequencialmente de 9631 a 9637;Foram construídas numa fábrica na Amadora pertencente à antiga empresa Sociedades Reunidas de Fabricações Metálicas, tendo entrado ao serviço em Setembro de 1991, para reforçar os serviços na Linha da Póvoa. Em 2002, data em que a Linha da Póvoa encerrou para obras de adaptação ao Metro do Porto, esta unidades foram destacadas para a Linha do Vouga e o Ramal de Aveiro.

3. Vouguinha é a 6ª automotora a circular na linha

A linha do Vouga já foi servida por seis automotoras, todas elas a diesel. Nesta linha circularam as Séries 9300, 9700, 9000, ME 50, 9400 e 9630, esta última a operar desde 2002.

4. O Vouguinha é um comboio elétrico

O atual comboio foi construído numa fábrica na Amadora pela antiga empresa Sociedades Reunidas de Fabricações Metálicas, tendo entrado ao serviço em Setembro de 1991 na Linha da Póvoa. Vieram, desde logo, preparadas para adaptação a tracção elétrica, devido ao facto de, nesta época, existir um projecto de electrificação desta linha.

5. Velocidade a 90km/h

As automotoras 9630 (conhecidas como Vouguinha) conseguem atingir os 90km/h. Porém, como a o estado da linha está considerada como das piores do país, de acordo com um relatório interno da Infraestruturas de Portugal tornado público, é raro andar no comboio a essa velocidade.

5. Caso sério em sinistralidade

De acordo com a Rede Ferroviária Nacional, em 2007 esta linha registou um total de 20 acidentes, representando cerca de 30% de todos os sinistros registados em Portugal. No ano anterior tinham sido registados 27 acidentes. A empresa propõe um investimento de 10 milhões de euros para fecho de passagens de nível, implementação de barreiras automáticas e melhoria no sistema de comando. O objectivo é reduzir em 70% os acidentes registados até ao ano de 2011.

Deixar uma resposta