As obras de requalificação vão arrancar até ao final do ano e visam criar uma nova área de urgências, principalmente. Mas o que muda no hospital com as obras?

A Câmara Municipal de Águeda é a entidade que mais financiamento dará ao novo investimento do hospital com 600 mil euros. As restantes parcelas serão entregues por fundos comunitários – 522 mil euros – e pelo próprio Centro Hospitalar do Baixo Vouga – 180 mil euros.

A obra deverá demorar cerca de um ano e prevê a requalificação do serviço de Urgência e da área dos meios complementares de diagnóstico, que inclui a imagiologia e o laboratório. Está também prevista a criação de uma plataforma de ligação entre o edifício principal e o edifício lateral, que passará a ser a entrada da Urgência e onde será criada uma zona de espera dos familiares.

522 000 euros – Fundos Comunitários
600 000 euros – Câmara Municipal de Águeda: 600 000 €
180 000 euros – Centro Hospitalar do Baixo Vouga

Atendimento de crianças separado dos adultos

De acordo com o presidente do Conselho de Administração do CHBV (Centro Hospitalar do Baixo Vouga), Aurélio Rodrigues, é que o principal “aspeto qualitativo” desta obra é que vai permitir separar o atendimento de crianças do atendimento de adultos.

“Na atual urgência está tudo junto e no novo projeto haverá um circuito autónomo para adultos e outro para crianças, cumprindo-se as regras de boas praticas clínicas de não misturar crianças mais vulneráveis com os adultos”, disse o mesmo responsável em declarações à Agência Lusa.

Na semana passada, o presidente da Câmara de Águeda e a presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar reuniram-se para definir o plano financeiro da obra. Durante o período em que decorrerem as obras, as Urgências vão funcionar em instalações alternativas preparadas para o efeito.

Deixar uma resposta