Julho é o pico da procura

Águeda está nas bocas de todo o mundo graças aos guarda chuvas

Águeda, 15/07/2018 - Reportagem no Agitágueda, que decorre de 7 a 29 de julho. Turistas estrangeiros (Tony Dias/Global Imagens)

Os chapéus tornaram-se o “cartão de visita” de Águeda, segundo o vice-presidente da autarquia, Édson Santos. Em 2017, terão passado pela cidade cerca de 250 mil pessoas durante o AgitÁgueda.

A instalação artística Umbrella Sky, criada em 2011 para alegrar as ruas da cidade enquanto decorria o programa de animação AgitÁgueda, tem corrido o mundo através das redes sociais.

“Com os chapéus e o boom das redes sociais, as fotos que as pessoas tiram espalharam-se por todo o Mundo. Começámos a ser contactados por pessoas no estrangeiro e por agências de viagens que querem saber quando temos a instalação para colocar nos pacotes turísticos como uma das atrações do país”, afirma Édson Santos ao Jornal de Notícias.

“Dá muito trabalho e envolve toda a comunidade, mas é gratificante”, Edson Santos

A economia local sente o investimento de quase 600 mil euros da Câmara Municipal de Águeda, nomeadamente a restauração e a hotelaria. A ocupação é “de quase 100% em todos os hotéis em Águeda na altura do AgitÁgueda. Há filas para jantar. Também há hotéis na região que recebem turistas para este evento, porque a capacidade do concelho não é suficiente”, garante Edson Santos ao referido jornal.

“Desde que surgiram os chapéus, aliados ao AgitÁgueda, a cidade ganhou muito. Tem sido fantástico”, afirma Elisabete Lima, que há um ano fundou o “Hostel and Friends” devido ao aumento do número de turistas na cidade, ao desenvolvimento industrial, desportivo e cultural. Neste momento o hostel está cheio de turistas europeus e muitos asiáticos vindos do Japão, China e Coreia.

Também o sucesso chega aos artesãos. Graça Almeida percebeu que tinha uma oportunidade de negócio e começou a fazer peças de louça, têxteis e outras recordações com a imagem dos guarda chuvas coloridos. Abriu a loja GraÇart Artesanato, na baixa da cidade, para quem queira levar uma prenda. “Já não podemos viver sem os guarda-chuvas. São estas vendas que ajudam o comércio a passar o resto do ano”, desabafa ao Jornal de Notícias.

Também o presidente do Turismo Centro de Portugal está encantado com Águeda e traça elogios à organização: “Às vezes são os conceitos mais simples e menos expectáveis que conseguem os melhores resultados. Águeda conseguiu surpreender ao fazer a decoração de ruas com um acessório que todos usam mas a que deram, com criatividade, um novo uso”.

A instalação de guarda chuvas coloridos vão permanecer nas ruas mais históricas da cidade até setembro.

Deixar uma resposta