"Queremos pessoas para trabalhar e não conseguimos"
Notícias

Região de Aveiro

“Queremos pessoas para trabalhar e não conseguimos”

A afirmação é de Fernando Paiva de Castro, presidente da Associação Industrial do Distrito de Aveiro (AIDA), e foi proferida na segunda edição do Fórum Desafios e Oportunidades promovido pelo EuroBic.

Para Paiva de Castro, que fazia parte do painel de debate e tinha como parceiros Carlos Costa, diretor do departamento de economia, gestão e engenharia industrial e turismo da Universidade de Aveiro, Paulo Almeida, da Primus Vitoria Azulejos e Sandra Sousa do grupo Rui Costa e Sousa & Irmão, este facto não é alheio à diminuição de cerca de 12 mil habitantes que a região sofreu entre 2011 e 2015. Ou seja, três mil habitantes por ano.

O presidente da AIDA diz que a situação é tão alarmante que “há empresas que contratam transportadoras para trazer pessoal” para trabalhar das regiões limítrofes.

Uma situação que é tanto mais preocupante na medida em que a região conta com 77 mil empresas, cerca de 7% do total das empresas nacionais, segundo um estudo sobre a realidade exportadora da região de Aveiro encomendado pela AIDA. Estas empresas estão concentradas na sua maioria nos setores da cerâmica e serviços, seguidas pela indústria transformadora, transportes e turismo.

Log in or Register to save this content for later.

28 comentários

  1. pra receber ordenados miseraveis nao vale a pena,os srs industriais ja pensaram em mudra de feitio?E k so pensam em exploracao

  2. Entre deslocar me e trabalhar para ficar com nada ao fim do mês para pagar quarto e despesas ou não fazer nada e ter uma melhor vida em casa do pais, desculpem mas o burro não sou eu de certeza.

  3. Bem tentei, Mas tive de mudar de distrito para poder trabalhar. Ninguem quer recém licenciados, todos querem superhomens com idade á volta dos 25 com 10 anos de experiência dispostos a flexibilidade de horários e a receber 700€. Bem que adoro a minha cidade, mas não deu.

  4. É só pagar com o minimo de descencia e não fazer funcionario de escravo.
    Se tem muitas vagas tb tem muita gente querendo trabalhar! Mas trabalhar é muuuuito diferente de querer ser explorado.

  5. a pagar o ordenado minimo… vão buscar os que recebem do fundo de desemprego e outros , aqueles do rendimento de inserção. . mas acho que nem esses querem, pois já se habituaram a ter dinheiro no final do mês e andar de café em café.

  6. Devia ter vergonha daquilo que afirma. A quantidade de portugueses que se viram obrigados a emigrar para ter condições de vida e não se sobrevivência, sentem-se ofendidos com essa frase. Não podem pedir mundos e fundos e oferecer uma mão cheia de nada!

  7. acho que se deve ter esquecido de dizer que não consegue pessoas para trabalhar, mas de graça.

  8. Ora respondo aos anuncios que aparecem na zona e digam que tem mais de 50 anos , e esperem que vos chamem

Deixar uma resposta