Pesquisa por artigos, fotos ou vídeos

Crimes mais assustadores que filmes de terror

pub

Infelizmente, o que não falta no mundo são pessoas totalmente cruéis e sem o mínimo de compaixão pelos outros. Assassinos e psicopatas não medem esforços para satisfazer as suas vontades e sede de violência.

Confere duas histórias de pessoas que cometeram crimes assustadores que podem ser bem piores do que filmes de terror.

1 – Cozinhou o marido
A australiana Katherine Knight sempre teve um histórico bem documentado de loucura, a começar pela sua tentativa de estrangular o seu primeiro marido até à morte na noite de núpcias. Na altura, a mulher achou pouco fazer sexo com ela apenas três vezes antes de adormecer.

O homem só esperou pelo nascimento da filha que Katherine estava à espera, para pedir o divórcio. Enfurecida, a maluca deixou a sua filha recém-nascida sobre uma linha de combóio perto de casa. A sorte da criança é que ela foi resgatada por alguém que passava por lá e reparou na criança.

Passado alguma tempo, Katherine começou a namorar com John Price, pai de três filhos, e começaram imediatamente a morar juntos na casa dele. Ele não aguentou a maluquice ameaçadora da mulher e entrou com uma ordem de restrição contra ela, onde esta teve que sair da casa.

Ele inclusive avisou os seus colegas de trabalho que, se algum dia não aparecesse para trabalhar, ela provavelmente o havia matado. No entanto, um dia ele permitiu que ela voltasse para a sua casa para uma noite de sexo e adormeceu ao lado dela. Aproveitando-se do momento de fraqueza do homem, a mulher o esfaqueou 37 vezes.

Quando Price não apareceu no local de trabalho no dia seguinte, os seus colegas chamaram a polícia, que apareceu na casa do homem e depararam-se com o corpo dele totalmente sem pele e sem a cabeça. Katherine tirou toda pele de Price e a deixou intacta em uma única peça, pendurada num gancho à entrada da casa como uma cortina mórbida.

A cabeça dele estava a ferver numa panela no fogão. A maluca declarou-se culpada e foi condenada à prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional.

2 – O assassino da lingerie

A loucura de Russell Williams – um coronel das forças armadas do Canadá – era entrar nas casas das suas vizinhas e assaltar as gavetas de lingeries das adolescentes.

Ele fazia isso e vestia as peças nas próprias casas, fotografava e masturbava-se deixando o local sujo. Uma vez, ele mesmo deixou uma mensagem no computador de uma menina de 12 anos a agradecer pela noite de prazer que o seu quarto havia-lhe proporcionado.

Williams cometeu mais de 80 roubos de roupa íntima. Ele praticava-o mesmo com os donos dentro de casa e mantinha um arquivo com milhares de fotografias (como estas que vês abaixo).

Entretanto, isto já não era suficiente para alimentar a sua obsessão e começou a invadir as casas e raptar as meninas e as mulheres adultas para posarem de lingerie para a sua coleção de fotos, até que um dia uma vítima reconheceu-o no trabalho e contou a toda a gente. A mulher foi então brutalmente assassinada e Willians gravou tudo em vídeo, registando cada detalhe.

Passadas duas semanas, sequestrou outra mulher, roubou várias peças íntimas (como era costume) e levou-a para uma casa que possuía, onde ele a aterrorizou por um dia antes de finalmente e matá-la, gravando e fotografando tudo.

publicidade

Felizmente, uma testemunha viu Williams à frente da casa da sua última vítima antes de ela desaparecer, e a polícia conseguiu prendê-lo após outras pistas encontradas. Ele confessou os crimes e foi condenado à prisão perpétua, onde recentemente tentou matar-se engolindo um rolo de papel higiénico.

Comentários